Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 20 de outubro de 2016 - 11h49

Lava Jato não irá aceitar facilmente delação de Cunha

Para Boechat, nível de exigência vai ser compatível com a figura dele
Âncora criticou a demora para a prisão ser feita / Adriano Machado/Reuters Âncora criticou a demora para a prisão ser feita Adriano Machado/Reuters

Para o jornalista Ricardo Boechat, os procuradores da Lava Jato não irão aceitar facilmente uma eventual delação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso nessa quarta-feira.

 

Direto de Las Vegas, onde acompanhou o último debate presidencial da eleição dos Estados Unidos, o âncora da Band avaliou a detenção do ex-presidente da Câmara e ex-deputado à BandNews FM.

 

“O significado dela (prisão) é muito forte e os procuradores da Lava Jato não vão aceitar uma conversa de meio impacto. No caso do Cunha, o nível de exigência vai ser compatível com o peso da figura dele”, resumiu.

 

Rotina de Cunha era dedicada à produção de livro

 

Boechat também pontuou que um elemento da prisão do ex-deputado surpreende: a demora. “Eduardo Cunha perdeu o foro privilegiado desde sua cassação, e a expectativa de todo mundo é que ele seria quase que automaticamente preso. Pelas mesmas razões que levaram dezenas para a cadeia”.

 

Sobre o debate de ontem entre Hillary Clinton e Donald Trump, ele avaliou que o republicano, que tenta uma virada histórica, não conseguiu criar um fato novo para “desequilibrar a seu favor o confronto”.

 

Escute o áudio completo da coluna de Boechat

 

Possível delação de Cunha preocupa políticos em Brasília

 

Saiba mais:
Cunha tinha dinheiro ilegal no exterior pelo menos desde 2000