Tamanho de fonte
Atualizado em sexta-feira, 17 de março de 2017 - 23h04

Temer critica contrários à reforma da Previdência

Presidente reafirmou em reunião com empresários que somente pequenos ajustes poderão ser feitos em texto da proposta
 / Ueslei Marcelino/Reuters Ueslei Marcelino/Reuters

O presidente Michel Temer criticou os movimentos contrários à reforma da Previdência. O peemedebista participou, nesta sexta-feira (17), de uma reunião com empresários no escritório da Confederação Nacional da Indústria, em São Paulo.

Temer buscou transmitir uma mensagem de otimismo ao setor e elencou conquistas do governo no Congresso, como a aprovação da PEC dos gastos e as novas regras do Ensino Médio.

 

Jornal da Band: Temer defende proposta original da reforma da Previdência


O presidente também citou o encaminhamento das mudanças na Previdência e nas leis trabalhistas, próxima reforma a ocorrer no Legislativo. Ao falar sobre as alterações nas regras de aposentadoria, Temer admitiu que ajustes podem ocorrer, mas ressaltou que a espinha dorsal do texto não pode ser alterada.

Ele defendeu que o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reformula o sistema previdenciário do país contém as medidas "ideais" para recolocar o país "nos trilhos".

"Haverá propostas de modificação num ou noutro ponto, é muito provável. Porque agora o senhor absoluto dessa matéria é o Congresso Nacional. E haverá naturalmente lá manifestações, argumentações, etc", disse o presidente em reunião do Comitê de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação.

"Claro que nós achamos que a proposta ideal, a proposta necessária, a proposta fundamental para colocar o país nos trilhos de uma vez é aquela que o Executivo mandou", disse, reforçando o discurso oficial em defesa do texto enviado ao Congresso, negando, no entanto, que o Planalto esteja avesso a conversações.

Leia também:
PSB não aceita reforma da Previdência como está
Governo 'precipitadamente já inviabilizou' reforma da Previdência, diz Renan Calheiros

Galeria: paralisação em protesto à reforma da Previdência toma o país