Tamanho de fonte
Atualizado em domingo, 19 de março de 2017 - 12h21

MPF recorrerá da decisão sobre prisão domiciliar de Adriana Ancelmo

Ex-primeira-dama do RJ ainda depende de adaptações em apartamento para sair do Complexo Penitenciário de Gericinó
Na residência ela não vai poder ter contato com dispositivos eletrônicos, como telefones ou acesso à internet / Ricardo Moraes/Reuters Na residência ela não vai poder ter contato com dispositivos eletrônicos, como telefones ou acesso à internet Ricardo Moraes/Reuters

O Ministério Público Federal vai recorrer da decisão que transformou a prisão da ex-primeira-dama do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo, em domiciliar. 

 

A medida havia sido determinada pelo juiz federal Marcelo Brêtas. 

 

Para que a mulher de Sérgio Cabral volte para casa, no entanto, são necessárias adaptações no apartamento da família, pois Adriana não pode ter acesso à internet ou telefones.

 

A defesa dela pretende fazer as mudanças no imóvel, no Leblon, na Zona Sul do Rio, neste fim de semana. 

 

Somente após uma vistoria da Polícia Federal, a acusada poderá deixar o Complexo Penitenciário de Gericinó.

 

Leia mais: