Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 18 de maio de 2017 - 19h45

Andrea Neves está presa em ala isolada

Irmã de Aécio seria participante em esquema de propina com a JBS
Andrea Neves, irmã de Aécio, escotada por agente da Polícia Federal / Cristiane Mattos/Reuters Andrea Neves, irmã de Aécio, escotada por agente da Polícia Federal Cristiane Mattos/Reuters

A Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais (Seap) informou na tarde desta quinta-feira (18) que Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), está presa em uma ala separada do pavilhão principal do Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte.

A decisão foi tomada com base na Lei de Execução Penal, que permite o isolamento do detento quando houver riscos à sua integridade física.

"Essa separação se dá em razão do tipo de crime, das condições em que se deu a prisão e da repercussão do caso", informou em nota a Seap. Andrea está em uma cela individual com cama, vaso sanitário e chuveiro. Como qualquer outro preso, ela terá alimentações diárias, banho de sol, assistências médica e psicossocial, além do direito de receber visitas conforme as regras do sistema penitenciário.

Andrea deu entrada na unidade prisional às 14h40. Ela foi presa preventivamente por determinação do ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava Jato na Corte.

Brasil Urgente: defesa diz que não há justificativa para prisão

Dois milhões de reais

Segundo reportagem do jornal O Globo, Aécio foi citado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, em depoimento de delação premiada homologada pelo STF. O delator contou aos procuradores que Aécio lhe pediu R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato. Andrea Neves seria participante da transação.

Fachin negou o pedido de prisão preventiva de Aécio, mas determinou o afastamento dele do mandato.

Também foram presos Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, e Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Segundo o jornal O Globo, a Polícia Federal identificou que os recursos pedidos por Aécio ao dono da JBS foram depositados na conta de uma empresa de Zezé Perrella.

Leia ainda:

Em conversa com Joesley, Aécio diz que Temer 'amarela'
Aécio anuncia licença da presidência do PSDB
Fachin decide retirar sigilo de delação premiada da JBS