Ladrão acusa...

Não quero nem nunca vou defender o Temer, mas engolir o Joesley chamando o presidente de ladrão é um pouco demais

Minha vó já dizia que vergonha é roubar e não poder carregar. Não quero nem nunca vou defender o Temer, mas engolir o Joesley chamando o presidente de ladrão é um pouco demais. Ele se confessou o maior corrupto de todos os tempos e se foi perdoado na cruz pelo Janot são outros quinhentos. Perante a lei, por enquanto, foi perdoado, mas continua ladrão moral. Ejaculou na cara de 207 milhões de brasileiros, 4 milhões abaixo da linha da miséria, pode sair do chiqueiro com aval da Justiça, mas tem que sair com cheiro; impunidade legal é uma coisa, moral é outra.

Abrir conta do Lula e da Dilma (verdade) e usar o saldo para comprar apartamento em NY, propriedade em Saint Barth, pagar casamento milionário e dizer desavergonhadamente que fazia parte do jogo. Ficar bilionário com dinheiro público, com aval do BNDES, e achar isto normal é um tapa na cara da sociedade, é no mínimo canalha.

Os brasileiros não podem aceitar mais esse elo de corrupção entre empresários (os que são) e políticos (os que são) e nesse jogo de milhões apanhar as migalhas que caem das mesas para tentar sobreviver. Esses vagabundos, um dia, serão julgados pela história e certamente pagarão caro no fogo do inferno, se existir um como esse aqui.

É muito fácil mudar o roteiro de filme sem saúde, educação e segurança pública, sem direito mínimo a cidadania e fazer do Coringa, o vilão, virar o mocinho, batendo no Batman, o verdadeiro herói que defende os princípios básicos da sociedade. Alto lá, canalha! A carne fraca é sua, não nossa.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário