Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 13 de setembro de 2017 - 16h32

Circuito de BMX acontece pela primeira vez em Manaus

O Circuito terá entrada gratuita e será dividido em quatro modalidades, sendo Iniciante, Amador, Profissional e Máster
Ao todo, oito estados estão confirmados para a competição, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, entre outros, além de pilotos de Santiago, Ch / Mauro Neto/Sejel Ao todo, oito estados estão confirmados para a competição, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, entre outros, além de pilotos de Santiago, Ch Mauro Neto/Sejel

Essa vai ser a primeira vez que a capital amazonense recebe uma etapa do Circuito Brasileiro de Overground BMX, modalidade Flatland. O evento promete reunir 25 pilotos na quadra do Parque dos Bilhares, na Avenida Constantinuo Nery.

 

No sábado, 16, os participantes realizam o reconhecimento do local da competição das 13h às 17h30 e no domingo, 17, as disputas acontecem a partir das 13h, com previsão de término às 17h.

 

Com mais de 10 anos de carreira, uma das promessas amazonenses no Circuito pela Pro é Márcio Soares, 31. O atleta conquistou em 2015 o título Brasileiro pelo Amador após a temperada que lhe rendeu pódio em Porto Alegre, São Paulo e Minas Gerais, e em 2016 foi quarto lugar geral no ranking do evento nacional. Com a responsabilidade de fazer bonito em casa, o piloto disputará a categoria Profissional e vem treinando dia após dia, algo em torno de três horas.

 

“Com a disputa sendo na minha Cidade, eu confesso que a responsabilidade aumenta e o esforço também. Por isso, estou pegando pesado nos treinos, que acontecem na Arena Amadeu Teixeira e também na quadra de basquete do viaduto Miguel Arraes (Zona Centro-Sul de Manaus)”, destacou Márcio.

 

Ainda segundo o amazonense, o Flatland não é uma modalidade fácil de ser praticada. Por isso, determinação e correções são essenciais para quem quer chegar a ser um campeão do maior evento do País. “Aqui em Manaus temos muita gente que pratica o BMX, mas poucos que encaram essa modalidade do Flat, pois não é algo que se aprende e aprimora da noite para o dia, pelo contrário, é necessário muito treino, esforço, estar sempre atento para aparar os defeitos, porque é um esporte essencialmente de manobras e tudo precisa estar perfeito”, disse Soares.

 

O piloto ainda explica que sempre foi apaixonado pelas duas rodas e isso ajudou na adaptação do esporte. “Eu sou motoboy e antes eu praticava o Freestyle e quando eu passei para o BMX isso me ajudou muito, pois praticamente tive apenas que fazer uma adaptação. Por isso, sempre sou muito confiante no que faço”, disse ele, sem temer os adversários de fora, e que no Circuito fará a apresentação igualitária a outros participantes: duas voltas em dois minutos e meio.

 

Os interessados em participar do Circuito Brasileiro de Overground BMX, modalidade Flatland, podem se inscrever na competição até a manhã de sábado, 16. A matrícula é feita pelo site http://www.abbmxf.com.br/, nos seguintes valores: R$30 iniciante, R$50 amador, R$50 máster, R$100 profissional.