Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 14h40

Crianças encenam folclore amazônico no Teatro

Com mais de 120 jovens artistas, Liceu apresenta Os Encontros da Floresta para celebrar Dia das Crianças
Artes visuais do espetáculo foram feitas pelos próprios alunos do Liceu / Reprodução Artes visuais do espetáculo foram feitas pelos próprios alunos do Liceu Reprodução

Inspirados nos personagens do folclore amazônico, como o Curupira, a Cobra Grande e a Matinta-Perêra, e em lendas como a do Tamba-Tajá, os alunos do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro apresentam um espetáculo especial em celebração ao Dia das Crianças.

 

Com direção artística de Jorge Kennedy, o musical ‘Amazônia – Os Encantos da Floresta’ será encenado no Teatro Amazonas, nesta quinta, 12, e na sexta-feira, 13, em duas sessões a cada noite, às 18h e às 20h, sempre com entrada franca.

 

O espetáculo terá a participação de cerca de 120 alunos de todos os núcleos do Liceu, entre música, dança, teatro e artes visuais. A dança e o teatro farão o espetáculo, que tem cenografia e figurino das artes visuais.

 

Na música, os corais Infantil, dirigido por Hugo Pinheiro, e Jovem, por Dhijana Nobre, também se apresentam no musical, que terá ainda participação da cantora Marcella Bártholo.

 

De acordo com o diretor artístico, o musical do Dia das Crianças já é uma tradição. “Começamos em 2015 com ‘Os Saltimbancos’, que foi um sucesso absoluto de público. Em 2016, repetimos a dose, também com uma resposta incrível do público, e neste ano resolvemos trabalhar com a temática da Amazônia”.

 

Kennedy explica que, a partir da concepção do texto, cada núcleo começou a trabalhar sua participação no musical. “Os professores do Núcleo de Música Popular, por exemplo, escreveram os arranjos das músicas de Waldemar Henrique. Os alunos de Artes Visuais produziram a arte do cartaz, os figurinos e ainda vão produzir a cenografia. Posso dizer que todas as turmas estão trabalhando como uma só”.

 

Algumas das músicas originais são do paraense Waldemar Henrique, com arranjos dos professores César Lima e Adonay Júnior, que também integram a Orquestra de Violões do Amazonas.

 

Outras foram compostas especialmente para o musical, pelos dois, com letras deles e do próprio Jorge Kennedy.

 

Enredo – A história acontece em uma comunidade no interior do Amazonas. São três crianças protagonistas, cuidadas pela avó, dona Rosinha. Nessa comunidade, os habitantes passam a viver as lendas do folclore amazônico. A jovem donzela seduzida pelo boto e os caçadores que atrapalhados pelas peripécias do Curupira, por exemplo.