BandNews FM BH
Nativa FM 103,9
Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 17 de maio de 2017 - 17h12

Novos radares terão tecnologia de ponta

Equipamentos que serão instalados poderão, entre outras coisas, detectar veículos clonados e com documentação em atraso

A BHTrans (Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte) vai substituir 136 radares para tentar coibir as infrações de trânsito na capital. Serão equipamentos de fiscalização do limite de velocidade, avanço de semáforo e controle do tráfego. A diferença é que além dessas infrações, os novos radares terão um software conhecido como Reconhecimento Ótico de Caracteres, ou Optical Character Recognition, em inglês (OCR), que lê a placa e identifica as letras e números instantaneamente. A tecnologia permite, entre outras coisas, reconhecer veículos clonados e irregularidades na documentação por meio da leitura da placa, além de uma qualidade superior na captura da imagem.

 

A nova licitação pretende substituir a empresa que fazia a gestão de radares em 136 pontos de BH, cujo contrato venceu recentemente. Já a empresa responsável pelos outros equipamentos continua com o contrato em vigor. Os procedimentos de implantação e manutenção serão realizados pelo Consórcio BH Segura, ao preço de R$ 10,8 milhões, e pela Splice, por R$ 9,8 milhões.

 

Nessa leva de substituições, a avenida Amazonas será a principal contemplada: 24 mudanças, considerando todos os tipos de fiscalização. Na sequência, 15 radares na avenida do Contorno terão nova gestão, seguida pela Cristiano Machado (13), Afonso Pena (10), Nossa Senhora do Carmo (10) e Via do Minério (10), além de três radares estáticos e equipamentos em outras vias da cidade.

 

Quanto ao tipo de fiscalização, serão substituídos 66 radares de velocidade, 49 de avanço de sinal e outros 22 equipamentos que vigiam a invasão de faixas exclusivas para ônibus. A previsão da BHTrans é que todo o processo de troca dure aproximadamente 60 dias.

 

Em São Paulo, os equipamentos ganharam o apelido de ‘’dedo-duro’’ e estão instalados em pelo menos 28 estradas do Estado desde 2010. Os radares são gerenciados pela Polícia Rodoviária Estadual. Em 2015, o mesmo tipo de equipamento capaz de flagrar carros roubados e pagamentos atrasados foram instalados em Fortaleza, no Ceará. Lá, os radares são gerenciados pelo Detran.

 

Aqui, apesar da função, a BHTrans informou que não é a prioridade dela esse tipo de fiscalização, que fica a cargo do Detran-MG. O órgão, por sua vez, não soube dizer se haverá um trabalho integrado com a empresa que gerencia o trânsito para multar motoristas com veículos que tenham documentação em atraso por meio do radar.