BandNews FM BH
Nativa FM 103,9
Tamanho de fonte
Atualizado em sexta-feira, 7 de julho de 2017 - 17h32

‘Soundtrack’ faz terror psicológico na neve

Estrelado por Selton Mello, filme mostra artista que vai à Antártida para fazer uma série de fotos, mas acaba colocando em risco e à beira da loucura os pesquisadores de lá
 /

Gravado no pólo sul e quase inteiramente em inglês, ‘Soundtrack’ é um filme brasileiro pronto para o mercado internacional, mas não por esses fatores, e sim por sua temática universal: o drama humano. O longa traz Selton Mello em uma brilhante interpretação como um artista plástico chamado Cris que viaja à Antártida para um projeto fotográfico que parece aos pesquisadores que lá residem não só despropositado como também bastante perigoso.

 

O projeto de Chris é ir ao infinito de neve e, em meio ao vento frio ouvir músicas. Enquanto ele escuta as canções, ele tira fotos de si mesmo – as fotografias que ilustram o filme, tiradas por Oskar Metsavaht, inclusive, ganharam exposição em São Paulo. O objetivo de Cris, além de artístico, é encontrar um propósito para sua vida, mas isso vai custar uma tremenda dor física e psicológica a ele e a seus companheiros de viagem.

 

Os coadjuvantes do filme também entregam ótimas atuações: o primeiro é o cantor Seu Jorge, vivendo um botânico que tenta, mas não entende seu conterrâneo Cris; e o ator inglês Ralph Ineson (‘A Bruxa’), que vive o líder da expedição e principal antagonista de Cris. Os dois representam um choque de diferentes visões de mundo, uma mais “de humanas” e outra “de exatas”.

 

A direção é assinada por Manitou Felipe e Bernardo Dutra, os 300ml, como assinam, que fazem seu primeiro longa-metragem após anos na publicidade. Apesar da inexperiência, fazem um filme ótimo e extremo. A produção, por exemplo, teve parte de suas cenas de fato gravadas na Antártida e cenas sempre gravadas a temperaturas baixas para dar uma sensação de verdade à pressão que os personagens sofrem.

 

Como o nome já diz, a trilha sonora de ‘Soundtrack’ tem fundamental importância. Nela estão não só canções como também discursos e músicas instrumentais que dão profundidade aos personagens.