Tamanho de fonte
Atualizado em domingo, 17 de julho de 2016 - 12h16

SP: mulher e idoso poderão descer fora do ponto

Descida de ônibus deve ocorrer em um local que obedeça ao trajeto da linha
Lei vale das 10h da noite às 5h da manhã / Fabio Arantes/ Secom/Divulgação Lei vale das 10h da noite às 5h da manhã Fabio Arantes/ Secom/Divulgação

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), sancionou a Lei 16.490, que autoriza mulheres e idosos a desembarcarem fora do ponto de ônibus, em local mais seguro e acessível, das 22h às 5h. A norma foi publicada nesse sábado no Diário Oficial da Cidade e já está em vigor.

 

Pela nova legislação, a descida deve ocorrer em um local que obedeça ao trajeto regular da linha e onde não seja proibida a parada de veículos.

Proposto pelos vereadores Gilberto Natalini (PV) e Toninho Vespoli (PSOL), o projeto foi inicialmente pensado para mulheres, mas os idosos acabaram incluídos. “O desembarque em local incerto contribuirá para minimizar assaltos furtos e outros tipos de delitos”, diz um dos pareceres apresentados durante a tramitação na Câmara Municipal paulistana.

 

Na justificativa do projeto, neste ano, Vespoli alegou que regras semelhantes já funcionam em outras cidades do próprio Estado de São Paulo, no Rio Grande do Sul, no Paraná e em Pernambuco. Segundo defendeu Natalini, que há dois anos busca a aprovação dessa norma, “com a prerrogativa de desembarcar fora do ponto, mulheres e idosos poderão escolher o local mais seguro já que existem paradas em locais escuros que favorecem a ação de ladrões e criminosos”.

 

Para o engenheiro Luiz Célio Bottura, ex-ombudsman da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a medida não fere os códigos de trânsito e não deve causar problemas, pois o tráfego nesse horário é reduzido. Mas ressaltou a necessidade de um bom treinamento aos motoristas de ônibus. “Tem de haver boa sinalização na parada, não parar bruscamente nem em esquinas, para evitar acidentes. É preciso treinamento.” 

 

Você viu essas notícias?

Presos suspeitos de assalto a transportadora

SP: ciclovia vira calçada e estacionamento