Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 20 de outubro de 2016 - 17h03

MPF denuncia 21 pessoas por homicídios em Mariana

Desastre ambiental completa um ano no dia 5 de novembro
Vítimas eram moradores da região e funcionários da Samarco ou empresas terceirizadas da Samarco / Fred Loureiro/Secom/ES Vítimas eram moradores da região e funcionários da Samarco ou empresas terceirizadas da Samarco Fred Loureiro/Secom/ES

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça 21 integrantes da cúpula da Samarco e representantes da Vale e da BHP Billiton, controladoras da empresa, por homicídio qualificado com dolo eventual - quando se assume o risco de cometer o crime - pela morte das 19 pessoas vítimas da queda da barragem da mineradora em Mariana, desastre ambiental que completa um ano no próximo dia 5.


Até o momento foram confirmadas 18 mortes. Um corpo ainda não foi encontrado. Todos eram moradores de Bento Rodrigues e funcionários da Samarco ou empresas terceirizadas da Samarco.

Entre os denunciados estão o então diretor-presidente da Samarco Ricardo Vescovi, e representantes do conselho da Samarco por indicação da BHP e Vale, entre os quais estão um sul-africano, dois estadunidenses, um australiano e um francês.

Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBr, prestadora de serviços de engenharia, também foram denunciadas, por crime ambiental.

 

Vale repudia denúncias

 

A mineradora Vale, que controla a Samarco junto com a BHP, repudia as denúncias oferecidas pelo Ministério Público Federal sobre o rompimento da barragem de Fundão.

 

Em nota, a empresa diz que não praticou atos de gestão operacional no local que se rompeu em novembro do ano passado. O texto fala ainda que nenhum dos executivos e empregados da empresa foram informados pela Samarco de qualquer irregularidade.

 

Contatada pela reportagem da Rádio BandNews FM, a VogBR disse que não vai se manifestar sobre o assunto.


Leia também:
PF conclui inquérito da tragédia em Mariana

Você viu?

Falta de fiscalização em barragens aumenta risco de tragédias