Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 20 de março de 2017 - 22h24

Alckmin sinaliza que vai voltar a servir carne na merenda nas escolas estaduais de SP

Suspensão temporária foi anunciada após polêmica da Carne Fraca
Alckmin em foto de arquivo participando de almoço com alunos de escola estadual / Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo Alckmin em foto de arquivo participando de almoço com alunos de escola estadual Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), sinalizou ao Palácio do Planalto que vai rever a decisão da Secretaria de Educação do Estado que anunciou, na manhã desta segunda-feira (20), a suspensão temporariamente da utilização de carne na merenda das escolas paulistas.

 

Esta medida preocupou muito o governo federal porque poderia gerar um efeito em cascata nos demais estados, agravando, ainda mais os problemas já enfrentados com o mercado em geral, por conta da Operação Carne Fraca, que detectou fraude na liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos no País.

 

Ao tomar conhecimento da medida, tanto o Ministério da Agricultura quanto o Planalto entraram em ação para tentar reverter o quadro. O governo federal teme também que esta suspensão possa ter um efeito ainda mais negativo no mercado externo, onde o Brasil luta para reverter os embargos já anunciados.

 

Uma medida como essa no mercado interno, reforça o discurso lá fora contra o produto brasileiro. A suspensão temporária foi anunciada por meio de uma circular expedida pela Diretoria de Alimentação e Assistência ao Aluno da Secretaria de Educação de São Paulo, às direções das escolas de São Paulo suspendendo o consumo de carne bovina, salsicha e peito de frango nos colégios. Os produtos seriam substituídos por outros produtos como ovos, sardinha, verdura, carne suína, entre outros.


Leia também:
Alckmin diz não conhecer 'lista de Janot'


E mais: 
Carne Fraca: Países que suspenderam compra são 34% da exportação