Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 20 de abril de 2017 - 11h19

SP: pai de "funcionária fantasma" é demitido

Homem foi nomeado ao cargo após a filha ser exonerada
Deputado Davi Zaia demitiu funcionário / Divulgação Deputado Davi Zaia demitiu funcionário Divulgação

Três dias após a denúncia da Rádio Bandeirantes, o pai da “funcionária fantasma” nomeado no lugar dela foi demitido pelo deputado estadual de São Paulo Davi Zaia (PPS).

O anúncio foi feito pelo presidente nacional do PPS, o ministro da Cultura, Roberto Freire, que coordenou pessoalmente a decisão.

Freire foi “cobrado” por eleitores pela internet e, depois de comunicar a exoneração, o ministro definiu as contratações feitas pelo deputado como “grave erro”.  

Entenda

A reportagem acompanhou, durante um mês, a rotina de Michelle Menechini Camargo, até então assessora parlamentar do deputado estadual Davi Zaia.

Prestes a se formar em biomedicina, Michelle estudava de manhã e trabalhava à tarde em um laboratório de Alphaville, quase não tendo tempo para exercer seu cargo na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP).

O próprio pai de Michelle, o coronel da Polícia Militar Rogério Cabral Camargo, confirmou os horários da filha incompatíveis com o trabalho dela como assessora parlamentar. Por telefone, a reportagem conseguiu localizar Michelle, que se recusou a falar sobre o assunto.

Irritado, o pai tentou explicar que a filha compensaria as faltas na assembleia durante a semana, exercendo sua atividade durante os finais de semana e também nos feriados. 

Leia também: 80% dos deputados a favor de punir abuso estão em lista de Fachin