Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 21 de março de 2012 - 07h02

Boechat: pai deve sempre defender os filhos?

Jornalista comentou as declarações de Eike Batista sobre o caso de atropelamento em que seu filho Batista está envolvido
Local onde um ciclista morreu ao ser atropelado pelo filho de Eike Batista / Foto: Tasso Marcelo/AE Local onde um ciclista morreu ao ser atropelado pelo filho de Eike Batista Foto: Tasso Marcelo/AE

    Ouça também

  • Boechat comenta o caso do filho de Eike Batista

O jornalista Ricardo Boechat comentou na manhã desta terça-feira o caso de atropelamento protagonizado por Thor, filho de Eike Batista, o homem mais rico do Brasil. 

 

Para Boechat, é compreensível que um pai apoie o filho em uma situação como essa, no entanto o jornalista considerou desrespeitosas as últimas declarações públicas de Batista reafirmando a versão do filho e não esperando por dados técnicos que comprovem os fatos.

 

“A atitude de Batista não tem nada de solidária e companheira e sim de afrontosa e desrespeitosa com a família da vítima, e precipitada de um pai que precisa e deve sim, ser solidário ao filho” afirmou Boechat.  

 

O jornalista ainda comentou o fato de que todos os comunicados para imprensa foram emitidos pela EBX, empresa de Eike Batista, enquanto a polícia ainda não periciou o carro e nem deu nenhuma informação oficial. 

 

Para o jornalista os pais devem estender a mão aos filhos, mas também conduzi-los a caminho do sacrifício e pedir desculpas caso eles cometam atrocidades. Para exemplificar pais que protegem os filhos incondicionalmente o jornalista ainda relembra um comunicado feito pelas famílias de cinco homens que espancaram um jovem no Rio de Janeiro que procurava defender um mendigo. 

 

 

Acidente

 

No último sábado, às 19h horas, Thor Batista, filho mais velho de Eike Batista, atropelou um ciclista na BR-040, em Duque de Caxias, Rio de Janeiro. 

 

Segundo a Polícia Civil, o ajudante de caminhão Wanderson Pereira dos Santos, 30, não resistiu aos ferimentos ao ser atingido pelo carro.

 

A lataria do carro ficou amassada, mas o veículo, em nome de Eike Batista, não foi periciado. O advogado de Thor o recolheu e se comprometeu a não fazer alterações. O caso foi registrado como homicídio culposo. O jovem e uma tia da vítima vão prestar depoimento nos próximos dias.