Ibirapuera: combate aos ‘rolezinhos’ espanta jovens

Prefeitura de SP fez atividades culturais, que não atraíram tantos jovens

Na quinta semana de combate ao consumo de álcool e drogas por adolescentes no Parque Ibirapuera, zona sul de São Paulo, a prefeitura realizou atividades culturais, como campeonatos de jogos de celular e DJ, das 14h às 18h, que, no entanto, não atraíram tantos jovens.

A maioria preferiu assistia a batalhas de rap entre eles ou andava de skate. “Está um erro, vamos colocar uma playlist de funk aí”, disse o atendente Lucas Lima, 19 anos, sobre a trilha sonora da atividade.

Houve novamente vistoria de bolsas e mochilas nos portões para evitar entrada de bebidas alcoólicas.

SP: sou contra o "rolezinho", diz prefeito João Doria

Sob a marquise, onde acontecem os rolezinhos, a desempregada Natalia Lima de Oliveira, 26 anos, observou: “O pessoal que ficava aqui e bebia muito saiu, a maioria foi embora”.

Mas ainda houve quem flagrasse problemas: “Vimos muitos jovens fumando maconha. Na frente dos nossos filhos”, reclamou o técnico em enfermagem Francisco Oliveira Sobrinho,  32 anos.

Gestão Doria tem aprovação recorde em 3 meses

A psicóloga Thais Quaranta explica que medidas de proibição têm benefícios a curto prazo, mas que “é de extrema importância que sejam seguidas de ações educacionais”. A especialista também defende que os adolescentes “precisam ter oportunidades de se engajar em atividades interativas, esportes, artes e iniciativas sociais para diversão e para o desenvolvimento de responsabilidades”.

O secretário do Verde e do Meio Ambiente, Gilberto Natalini, afirma que as ações da prefeitura estão dando resultado. Nenhum caso de coma alcoólico foi registrado neste domingo.

Ao todo, as equipes da prefeitura apreenderam 185 itens de bebidas como garrafas de vinho, destilados e latas de cerveja.

Você viu? Vergonha Alheia: banheiros do Parque Ibirapuera são quebrados 

Compartilhar

Deixe seu comentário