Homem mata amante grávida que se negou a abortar

Crime chocou cidade de Saltinho, no interior de São Paulo

Um homem casado, gerente de uma fábrica de roupas, matou uma funcionária com quem tinha um relacionamento amoroso porque ela estava grávida de dois meses e se negava a fazer o aborto. O crime, esclarecido na noite dessa quarta-feira (26), chocou a pequena Saltinho, cidade de 7 mil habitantes do interior de São Paulo.

O acusado, que confessou o crime e a motivação, foi levado a uma cadeia da região e está sendo mantido numa cela sob vigilância. A vítima, a designer de moda Denise Stella, de 31 anos, estava desaparecida desde a noite de segunda-feira (24), quando saiu de casa para jantar na casa de uma amiga e não retornou.

Amigas da jovem chegaram a postar o desaparecimento em redes sociais. O carro usado por Denise, que pertence à mãe dela, foi encontrado abandonado em um canavial do município.

SP: policial é preso suspeito de matar ex-namorada
Homem atropela e mata namorada no interior de SP

Acionada, a Polícia Civil iniciou as investigações e chegou ao suspeito. Ele revelou onde havia deixado o corpo, em uma estrada de terra, próximo da Rodovia Cornélio Pires (SP-127). O corpo havia sido jogado em uma ribanceira.

Assista à reportagem do Brasil Urgente sobre o desaparecimento de Denise

Assassinato

À polícia, o gerente Cristiano Romualdo, de 39 anos, contou que mantinha um relacionamento secreto com a designer, de quem era chefe no trabalho. Há alguns dias, ela contou ter feito teste de gravidez com resultado positivo. Casado, ele passou a insistir para que ela fizesse um aborto, mas a mulher queria ter o bebê.

Na segunda, após jantar na casa da amiga, ela se encontrou com o amante. Depois de uma discussão, ele usou o cinto de segurança do carro para enforcá-la. Em seguida, deixou o corpo na estrada e abandonou o carro em outro local.
 
Cristiano Romualdo
Cristiano Romualdo era chefe de Denise e confessou o crime (foto: Reprodução)

A notícia do crime causou revolta na cidade, onde a família de Denise é bastante conhecida. Quando a jovem desapareceu, o pai dela estava internado em um hospital e a mãe o acompanhava, por isso Denise ficou com o carro dela. Cristiano foi levado para depor na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Piracicaba, onde permanece preso.

O corpo da jovem também foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) dessa cidade e deve ser velado nesta quinta-feira (27), em Saltinho.

Veja também: Mulher corre risco de morte após ser esfaqueada por marido

Compartilhar

Deixe seu comentário