SP: apenas moradores de rua que quiserem serão enviados de volta para suas cidades, diz secretário

Filipe Sabará ainda defendeu as ações policiais na Cracolândia

O secretário de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, Filipe Sabará, garantiu, em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta sexta-feira, que apenas os moradores de rua que quiserem serão enviados de volta para suas cidades de origem.

Nesta semana, o secretário divulgou um vídeo ao lado de um usuário de drogas dizendo que estava providenciando o retorno dele ao Maranhão. A publicação causou polêmica, com internautas dizendo que a Prefeitura iria deturpar o programa que oferece passagens de ônibus para moradores de rua.

Ouvido nos estúdios da Rádio Bandeirantes, o secretário disse que é ativista na causa há muitos anos e que bancou o retorno do cidadão do próprio bolso.

Segundo um levantamento de 2015 da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), há quase 16 mil pessoas em situação de rua na capital. Diante disso, de acordo com Sabará, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social trabalha pra abrir um centro de acolhimento por mês até o fim do ano.

Sabará garantiu também que o programa "Trabalho Novo" será ainda mais eficiente para recuperar viciados em entorpecentes. O secretário ainda defendeu as ações policiais na Cracolândia, dizendo que elas facilitam o trabalho das equipes.

Na última quarta-feira (14), pelo menos seis GCMs ficaram feridos depois de mais um conflito com usuários de drogas na Praça Princesa Isabel. Na confusão, que começou após um trabalho rotineiro de limpeza, um ônibus foi depredado e um dos agentes sofreu uma fratura no rosto.

Nova Cracolândia cresce diariamente 

Após a dispersão dos usuários de drogas que ficavam nas imediações da estação Júlio Prestes, onde o fluxo se concentrava na rua Helvétia, uma nova Cracolândia fica mais forte na Praça Princesa Isabel.

Localizada a menos de 600 metros da Cracolândia original, apenas entre quarta e sexta-feira da semana passada o número de dependentes na praça praticamente dobrou e já chegava a 600 pessoas.


Além disso, outras áreas da cidade sofrem com o abandono do poder público. De acordo com a BandNews FM, em ao menos sete pontos da cidade os moradores reclamam da falta de atenção e projetos para recuperar usuários e combater o tráfico de drogas.


Confira também:

Secretário: usuário de crack não precisa ter internação compulsória
SP: Dobra número de usuários de crack na Princesa Isabel

Compartilhar

Deixe seu comentário