SP: Se fosse ruim eu não teria iniciado, diz Natalini sobre biscoitos de farinata

Alimento é produzido com ingredientes com data de validade próxima do vencimento ou fora do padrão de comercialização

O vereador Gilberto Natalini (PV) defendeu a distribuição de biscoitos produzidos com farinata para a população carente de São Paulo. "A ideia não é ruim não. Porque se fosse, eu não teria iniciado", disse em entrevista à Rádio Bandeirantes na manhã desta sexta-feira (13).

A medida foi anunciada pela prefeitura nesta semana e causou debate nas redes sociais sobre a eficácia e segurança para quem ingerir os biscoitos. Esse tipo de alimento é produzido com ingredientes com data de validade próxima do vencimento ou fora do padrão de comercialização.

Natalini reforçou que um conselho se empenhou nos estudos sobre o alimento antes do anúncio e que vários estudos foram feitos para garantir que ele traga "riscos praticamente nulos" à saúde da população.

Segundo o vereador, a iniciativa irá trazer uma série de benefícios. “Primeiro você vai economizar alimento que é jogado fora. Segundo que o alimento é de boa qualidade e terceiro que você pode alimentar as pessoas, dar comida balanceada e mudar o mapa da fome”, afirmou.

A produção do biscoito será feita em parceria entre a Prefeitura e o Instituto Plataforma Sinergia, que se dedica a doar produtos de farinata às populações que se enquadram nos diversos graus de insegurança alimentar ou atingidas por catástrofes naturais ou humanitárias. De acordo com o instituto, a farinata possui no mínimo dois anos de vida útil e preserva todas as propriedades nutricionais originais.

Alimento para Todos

A produção e distribuição do biscoito – batizado de “allimento” – faz parte do o projeto Alimento para Todos, que segue as normas do Projeto de Lei número 550 de 2016, do vereador Gilberto Natalini, que institui a Política Municipal de Erradicação da Fome e de Promoção da Função Social dos Alimentos. 

“A força da iniciativa destes vereadores origina este programa, num momento histórico para a cidade e, permito-me dizer, para vida de nosso país”, disse o prefeito João Doria (PSDB) no lançamento do projeto. A prefeitura espera que a nova lei sancionada passe a ser referência para os demais municípios brasileiros.

Compartilhar

Deixe seu comentário