MG: Corpo de mulher desaparecida após combinar carona é encontrado

Polícia suspeita que a radiologista tenha sofrido violência sexual

Michele: Ninguém aqui é profissional, mas as pessoas esquecem

O corpo de uma jovem paulista de 22 anos, que participava de um grupo de caronas por meio do aplicativo WhatsApp e desapareceu, foi encontrado na tarde desta quinta-feira (2), próximo da cidade de Frutal, no Triângulo Mineiro. Kelly Cristina Cadamuro morava em Guapaiaçu, na região de São José do Rio Preto e estava desaparecida desde a tarde de quarta-feira (1), quando combinou uma viagem pelo aplicativo para Minas Gerais. Segundo a Polícia Militar, a jovem estava seminua, com a cabeça mergulhada em um córrego. A calça que usava foi achada a três quilômetros do local. A perícia vai indicar se ela sofreu violência sexual.

De acordo com os familiares, Kelly ia visitar o namorado, um engenheiro civil, em Itabagipe, no Triângulo Mineiro, e postou a viagem no grupo. Um casal se ofereceu para dividir a despesa, mas a mulher teria desistido. Ela foi buscar o rapaz próximo da Praça Cívica, em Rio Preto. A jovem foi vista pela última vez quando parou para abastecer o carro, em um posto da Rodovia Transbrasiliana (BR-153), e fez comunicação com a família, informando que estava com o carona, que até então não conhecia.

Câmeras instaladas em uma praça de pedágio mostram a passagem do carro dirigido pela jovem no sentido da cidade mineira e, algum tempo depois, retornando em sentido contrário, com um homem ao volante. O veículo foi achado sem as rodas, som e equipamentos, em uma estrada rural entre Rio Preto e Mirassol. O corpo da jovem foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) e reconhecido pelos familiares. A perícia vai indicar a causa da morte. As polícias de Frutal e de Guapiaçu trabalham em conjunto para tentar encontrar o homem que estava de carona com Kelly.

Compartilhar

Deixe seu comentário