MP investiga falta de parques no Rodoanel

Dersa tem 30 dias para explicar demora na compensação ambiental após implantação da rodovia

A promotora de Justiça do Meio Ambiente de São Paulo Claudia Cecília Fedeli deu prazo de 30 dias para que a Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A.) explique o atraso na entrega de parques prometidos como compensação ambiental do Trecho Sul do Rodoanel.

De acordo com a investigação da Promotoria, apenas uma das sete áreas verdes prometidas no início das obras foi entregue.

A promotora pediu às prefeituras de São Paulo, São Bernardo, Embu e Itapecerica da Serra, cidades que deveriam receber os parques, informações sobre a atual situação dos processos de implantação das áreas verdes. Outro pedido de informações foi enviado à Secretaria de Meio Ambiente para que o órgão detalhe as pendências nas compensações ambientais do Rodoanel.

O prazo para que as cidades cortadas pelo Trecho Sul recebessem os parques terminou no final do ano passado, mas, até agora, apenas Embu recebeu a área verde.

A Dersa afirma que, além do parque de Embu, já entregou outras três áreas verdes: as Unidades de Conservação Jaceguava, Bororé e Varginha, todas em São Paulo.

De acordo com a empresa, o maior motivo para o atraso na implantação dos parques são as desapropriações. Muitas vezes, proprietários contestam na Justiça o valor a ser recebido, fazendo com que o processo não termine.

Compartilhar

Deixe seu comentário