Tamanho de fonte
Atualizado em terça-feira, 16 de maio de 2017 - 17h48

Justiça bloqueia R$ 198 milhões de 3 construtoras e 9 réus

Ação aponta irregularidades na reforma do Maracanã
R$ 198 milhões das construtoras Odebrecht, Delta e Andrade Gutierrez e de outras nove pessoas foram bloqueados. / Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão Conteúdo R$ 198 milhões das construtoras Odebrecht, Delta e Andrade Gutierrez e de outras nove pessoas foram bloqueados. Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão Conteúdo

A Justiça do Rio bloqueou, nesta terça-feira (16), R$ 198 milhões das construtoras Odebrecht, Delta e Andrade Gutierrez e de outras nove pessoas por irregularidades nas obras da reforma do Maracanã.

Segundo a decisão do desembargador José Roberto Portugal Compasso, da 9ª Câmara Cível do TJ do Rio, a ação por improbidade aponta ilicitudes desde o projeto básico até a execução dos serviços de construção.

Compasso também citou a delação de Alberto Quintaes. O ex-executivo da Andrade Gutierrez confessou ter pagado propina ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, para participar do consórcio qe adjudicou a reforma do estádio.

A ação demonstra indícios de duplicidade de mão de obra, falta de fiscalização, elevação de custos sem motivos aparentes e superfaturamento nos contratos.

São réus na ação, além das três construtoras, o ex-secretário de Obras do estado, Hudson Braga; o ex-presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio, Ícaro Moreno Júnior; o ex-diretor de Planejamento da empresa, Marco Antônio Rodrigues Marinho; o ex-coordenador de Projetos, José Carlos Pinto dos Santos; a autora do projeto base, Cátia Cristina de Oliveira Castro; três membros da Comissão de Fiscalização do contrato, Joel da Silva Myrrha, Wilson José Fernandes e Rafael Gianni Di Vaio; e Ernani Knust Grassini, da Coordenadoria de Preços da Emop.

Leia também:

Ônibus são incendiados após operação da PM em Santa Cruz

Escolas deverão ter mobiliário adaptado