Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 12h13

Forças Armadas continuam cerco na Rocinha

A mulher de Antonio Bonfim Lopes, o Nem, foi presa
Os militares atuam nas vias do entorno da comunidade. / (Foto: Luiza Muttoni ) Os militares atuam nas vias do entorno da comunidade. (Foto: Luiza Muttoni )

Em mais um dia de operação integrada entre as Forças Armadas e a Polícia Militar na Rocinha, há registro de confrontos na maior comunidade do Rio de Janeiro.Os diparos foram ouvidos próximo a Estrada da Gávea. Até o momento da PM não informou em qual circunstância o confronto ocorreu. Por conta dos constantes tiroteios desde a saída das tropas federais do cerco fixo à comunidade, moradores da parte alta seguem sem luz há três dias. De acordo com a Light, não há condições de segurança para restabelecer o fornecimento de energia na localidade conhecida como Roupa Suja. Mais de dois mil e quatrocentos alunos da rede municipal estão sem aulas nas cinco escolas, duas creches e um 1 Espaço de Desenvolvimento Infantil.

A mulher do antigo responsável pelos pontos de vendas de drogas na favela, Antonio Bonfim Lopes, o Nem, foi presa nesta terça-feira (10), na Ilha do Governador, na Zona Norte. Danubia Rangel estava foragida há mais de um ano e foi encontrada em um dos acessos ao Morro do Dendê. A expulsão dela da Rocinha pelo bando de Rogerio 157 teria sido o estopim pela disputa da comunidade, no último dia 17. A primeira-dama, como é conhecida, é apontada como a responsável por transmitir ordens do marido, preso em Rondônia, a membros da facção Amigo dos Amigos. Antes do Morro do Dendê, Danúbia teria se escondido na Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, onde nasceu.

Danúbia Rangel já está no Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio. Para a Polícia Civil, ela é considerada como principal elo de comunicação entre traficantes ligados à facção de Nem. A esposa de Nem havia sido solta em março do ano passado, mas uma semana depois foi condenada a 28 anos de prisão por tráfico e corrupção. O Disque Denúncia oferece mil reais de recompensa por informações que levem à prisão de outras 13 pessoas do bando liderado por Nem.

Também nesta terça-feira (10), a Rocinha registrou um novo confronto no fim da manhã. O Batalhão de Operações Especiais trocou tiros com criminosos na localidade de Laboriaux. Não houve feridos ou prisões. Um grupo de 150 mototaxistas tentou fechar uma pista da via que fica em frente ao acesso principal da favela, a Autoestrada Lagoa-Barra. Segundo a polícia, o ato teria sido a mando do atual responsável pelo tráfico de drogas na favela, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157.

131 homens foram encaminhados a delegacia da região e liberados em seguida. Também ontem, a Polícia prendeu um dos seguranças de Rogério 157. Tales Juan Costa dos Santos, o Talibã, de 25 anos, estava foragido da Justiça e tinha três mandados de prisão em aberto por tráfico de drogas. Ele foi encontrado na rua Paula de Brito, na Rocinha. Durante a noite, homens do Batalhão de Choque apreenderam um fuzil AK 47, duas pistolas e uma granada na Rua 4. Também foram encontrados cinco carregadores, mais de cem munições e drogas.