Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 16h52

Traficantes causam 10% dos casos de intolerância religiosa

Levantamento é da Secretaria estadual de Direitos Humanos

Traficantes são responsáveis por 10% dos casos de intolerância religiosa no Estado, é o que revela um relatório da Secretaria de Estado de Direitos Humanos de Políticas para Mulheres e Idosos.

A pasta informou que os criminosos são os que mais cometem casos de intolerância contra centros religiosos, na grande maioria, de matriz africana.

Mais um caso foi registrado nesta semana, no bairro do Engenho, em Itaguaí, na Baixada Fluminense. Na ocasião, os marginais foram até um templo religioso e deram um prazo de 3 dias para a retirada de todos os artefatos, sob ameaça de invadir o local e quebrar todas as peças.

Na última sexta-feira (06), um outro centro espírita, em Tanguá, na Região Metropolitana do Rio, foi invadido e mais de 50 imagens foram destruídas.

A Baixada Fluminense foi responsável por cerca de 30% das denúncias recebidas pela secretaria. De julho a outubro, 41 casos foram registrados no Estado.

No próximo dia 19, a secretaria promove o 1º Fórum Iguaçuano de Combate a Intolerância Religiosa.

As denúncias podem ser registradas através do Disque Combate ao Preconceito, pelo telefone 2334-9551.