Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 19h44

Justiça aceita 15ª denúncia contra Sérgio Cabral

Outras 7 pessoas também foram denunciadas no âmbito da operação Unfair Play
Defesa de Sérgio Cabral afirmou que as acusações são infundadas e insustentáveis /  (Foto: Reprodução / Agência Brasil) Defesa de Sérgio Cabral afirmou que as acusações são infundadas e insustentáveis (Foto: Reprodução / Agência Brasil)

A Justiça Federal aceitou a denúncia contra Sérgio Cabral no âmbito da operação Unfair Play e, agora, o ex-governador é réu pela 15ª vez.

Além de Cabral, foram denunciadas outras 7 pessoas, entre elas o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes e o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur.

A operação da Polícia Federal, que significa jogo sujo em português, é mais um desdobramento da Lava Jato e investiga a compra de votos para que o Rio de Janeiro sediasse a Olimpíada de 2016.

De acordo com o Ministério Público Federal, Arthur Soares seria o responsável pelo repasse de propina à organização criminosa chefiada pelo ex-governador para que os contratos das empresas dele com o estado continuassem.

Em uma das imputações, Cabral teria recebido mais de $ 10,4 milhões em 21 transferências.

A defesa de Sérgio Cabral afirmou que as acusações são infundadas e insustentáveis porque não há provas da participação do ex-governador nos fatos relatados na denúncia.

E hoje, foi realizado o leilão de bens de pessoas ligadas a Cabral. A venda de 7 itens totalizou R$ 238 mil.

19 lotes pertenciam aos ex-assessores de Cabral Wagner Jordão e Ary Ferreira, e ao ex-secretário estadual de Obras Hudson Braga.  Entre os bens arrematados estão um relógio que foi levado por R$ 11,2 mil, que era de Hudson Braga.

O lote mais caro disponível é um apartamento duplex com 4 vagas de garagem na orla da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, por R$ 4,3 milhões.

Os 7 itens que pertenciam a Sérgio Cabral foram bloqueados porque a defesa do ex-governador entrou com um processo impedindo o leilão.

Cabral está preso em uma penitenciária de Benfica, na Zona Norte, por esquema de corrupção. Ele já foi denunciado 15 vezes e condenado 2 processos.