Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 - 14h49

Rio vai contar com mais 2 mil policiais nas ruas, diz Pezão

O governador promete pagar, também, R$ 76 milhões em gratificações a partir do próximo mês
Pezão voltou a afirmar que não vai acabar com as Unidades de Polícia Pacificadoras  / Luiza Muttoni Pezão voltou a afirmar que não vai acabar com as Unidades de Polícia Pacificadoras Luiza Muttoni

Após os casos de violência das últimas semanas, o Rio de Janeiro passa a contar com um reforço de mais 2 mil policiais nas ruas diariamente. O governador do Estado afirmou que a mudança vale a partir desta quinta-feira (8), sob o custo de R$ 9 milhões de investimentos mensais. 

Segundo Luiz Fernando Pezão, o reforço no patrulhamento vai acontecer na Capital Fluminense e Região Metropolitana. Com um aumento de 12,5% na arrecadação do Governo em janeiro, o chefe do Executivo Estadual promete pagar, também, R$ 76 milhões em gratificações a partir do próximo mês. Os pagamentos vão ser divididos em quatro parcelas, pagas no fim do mês. 

Através do montante, o programa de metas em batalhões e delegacias vai ser retomado. O Governo promete pagar nesta sexta-feira (9) mais de R$ 13 milhões pendentes do Regime Adicional de Serviço e mais de R$ 8 milhões referentes ao Programa Estadual de Integração na Segurança, o Proeis. 

Pezão também anunciou a compra de mil viaturas para as Polícias Civil e Militar, mas não definiu uma data de quando isso deve acontecer. Ele também falou sobre a previsão de pagamento do 13º salário de 2017 na primeira quinzena de março. 

Pezão voltou a afirmar que não vai acabar com as Unidades de Polícia Pacificadoras e destacou que não considera que o projeto tenha fracassado. Áreas turísticas conflagradas, como Paraty e Angra dos Reis, na Costa Verde Fluminense, vão contar com o apoio das forças de segurança federais. O patrulhamento também vai ser reforçado nas Baías de Sepetiba e Guanabara, com foco no combate ao tráfico internacional de drogas. Para o Carnaval, o número de 8 mil policiais nas ruas vai subir para 17 mil.