Tamanho de fonte
Atualizado em terça-feira, 13 de março de 2018 - 11h07

Família de jovem assassinado no Jacarezinho acusa PM

Matheus Melo, de 23 anos, saía da comunidade, depois de deixar a namorada em casa após terem ido à igreja
Ele foi atingido no tórax e no braço / (Foto: Reprodução/Facebook) Ele foi atingido no tórax e no braço (Foto: Reprodução/Facebook)

Familiares acusam a Polícia Militar de terem atirado e matado um jovem na noite desta segunda-feira (12), em Jacarezinho, na Zona Norte do Rio.

Matheus Melo, de 23 anos, saía da comunidade, depois de deixar a namorada em casa após terem ido à igreja. Os parentes acreditam que a vítima foi baleada por estar de moto e sem capacete. Ele foi atingido no tórax e no braço.

O crime aconteceu na Avenida Dom Helder Câmara, próximo à UPP de Manguinhos, por volta das 22 horas. O tio do jovem, Neemias de Castro, diz que o menino era trabalhador e que tinha o desejo de cursar paisagismo.

Por conta da morte do jovem, um ônibus foi incendiado e a base da Unidade de Polícia Pacificadora de Manguinhos foi atacada.

r


Além disso, duas grávidas morreram em menos de 24 horas. Em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, Katyara Pereira da Silva, de 31 anos, estava com um pano na boca quando foi encontrada. Ela chegou a ser encaminhada para o Hospital Municipal Moacir do Carmo, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. O bebê também morreu.

O ex-namorado da vítima, Matheus Almeida da Silva, de 23 anos, foi detido após confessar o crime. Já na Zona Oeste, Dandara Helena Damasceno de Souza, de 21 anos, foi baleada no rosto, dentro de casa na comunidade da Vila Vintém, em Padre Miguel.

A jovem, que esperava um filho de seis meses, passou por uma cesariana de emergência e o bebê segue internado na UTI do Hospital Municipal Albert Schweitzer em estado gravíssimo. Ela já era mãe de uma menina de 3 anos.

De acordo com familiares, o marido da vítima é o principal suspeito de ter atirado contra a vítima. A Divisão de Homicídios investiga os casos.