Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 27 de maio de 2015 - 16h27

Faltam recursos para o Degase

Cada agente está cuidando de 30 jovens, valor seis vezes acima do desejado.
Crimes relacionados ao tráfico de drogas são os de maior incidência entre os jovens / Crimes relacionados ao tráfico de drogas são os de maior incidência entre os jovens
O Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas) é responsável pela execução das medidas socioeducativas aplicadas pelo Poder Judiciário aos jovens em conflito com a lei, mas a falta de recursos, superlotação e brigas de menores separados por facções criminosas são considerados os maiores obstáculos na ressocialização desses jovens.
 
 
Os últimos problemas enfrentados foram telefones cortados e falta de serviço de internet para servidores. Em algumas unidades faltam inclusive agentes. De acordo com o sindicato, deveriam ser cinco adolescentes para cada agente, mas na prática, atualmente, são trinta.

O sindicato deu como exemplo a situação do Centro de Socioeducação Dom Bosco, na Ilha do Governador, tem 400 jovens, enquanto que na prática só poderia 90.
 
 
A cidade do Rio de Janeiro sofre uma onda de assaltos praticados com facas onde, pelo menos, 37,5% deles foram praticados por menores. O caso mais grave foi a morte do médico Jaime Gold, na Lagoa, que foi esfaqueado enquanto andava de bicicleta. O suspeito do crime é um menor de 16 anos com quinze passagens pela polícia e dez encaminhamentos para o Degase. Das dez internações provisórias, que não passam de 45 dias, o menor teve duas medidas de semiliberdade e fugiu em ambas ocasiões.
 
 
Para os servidores, os maiores problemas estão nas unidades de semiliberdade, uma vez que, a superlotação facilita a fuga de menores apreendidos.
 
Nessa segunda-feira funcionários do departamento decidiram que vão trabalhar normalmente pelo prazo de quinze dias, período que o secretário do Governo, Paulo Mello, pediu para articular o pagamento junto ao governador Luiz Fernando Pezão.
 
Após esse período, eles voltarão a ser reunir.
 
 
Perfil do menor infrator
 
O Degase fez um levantamento do perfil dos adolescentes e tirou as seguintes conclusões:
 
- Mais de 80% dos jovens apresentam defasagem entre idade e escolaridade;
- 94% deles não possuem ensino fundamental completo;
- Quase todos são provenientes de famílias com renda igual ou inferior a dois salários mínimos, e;
- Os crimes por tráfico de drogas são os de maior incidência entre esses jovens.