Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Rádio Ipanema FM 94.9
Canal Você
Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 20 de março de 2017 - 19h09

Alimentação fora de casa na Região Sul é a mais cara do país

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Datafolha a pedido da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador
Na capital o preço médio da refeição fora de casa é de R$ 32,06 / Free Images Na capital o preço médio da refeição fora de casa é de R$ 32,06 Free Images

Um prato principal, uma bebida não alcoólica, sobremesa e café. O que parece uma simples refeição pode sair caro para o consumidor. Principalmente na Região Sul. O preço da alimentação no Sul é o mais caro do país e é maior do que a média brasileira. Os dados são da Pesquisa do Preço Médio da Refeição, realizada pelo Instituto Datafolha a pedido da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador, a ASSERT.

 

A refeição tem o valor médio de R$ 34,34 na Região Sul, o que representa 4% a mais do que a média brasileira, que é de R$ 32,94. Entre as cidades que foram avaliadas, a mais cara é Florianópolis, que registra uma média de R$ 43,53. Já em Porto Alegre o preço médio da refeição fora de casa é de R$ 32,06. Além do Sul, o Sudeste é a segunda região onde a alimentação fora de casa é mais cara. Em média, custa R$ 33,25.

 

“Se levarmos em conta a região sudeste e sul se aproximam. Muito disso é por serem as regiões mais ricas do país”, explicou o economista Guilherme Stein.

 

Ele ainda ressalta que uma das opções de economia para os trabalhadores é levar comida pronta de casa para o ambiente de trabalho. A pesquisa mostra que o trabalhador da Região Sul que recebia apenas um salário mínimo nacional em 2016 e não tinha vale-refeição gastaria cerca de 86% da sua renda para se alimentar fora de casa.

 

A diretora-presidente da ASSERT, Paula Cavagnari lembra que o preço da refeição é composto por diversos fatores. Segundo ela, o custo que as empresas têm com o serviço pode acabar deixando o valor mais caro. “Se pudéssemos pensar em motivos pelos quais estes preços são afetados, podemos listar preço do alimento, poder aquisitivo da população na região, custo de vida, logística e distribuição, custo de mão de obra e aluguel. Todos estes fatores tem impacto no preço final”, completou ela.

 

Do valor médio da refeição brasileira de R$ 32,94, R$ 18,94 é o preço do prato principal. A sobremesa custa em torno de R$ 6,76, a bebida R$ 4 e o café R$ 3,25.