Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Rádio Ipanema FM 94.9
Canal Você
Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 20 de março de 2017 - 20h25

Câmara derruba veto de Marchezan e aprova bicicletários

A proposta do vereador Marcelo Sgarbossa altera uma lei de 2013 que permite a instalação de bicicletários em estabelecimentos comerciais
Paraciclo em frente à Casa de Cultura Mario Quintana é um dos poucos no Centro / João Mattos/Especial Paraciclo em frente à Casa de Cultura Mario Quintana é um dos poucos no Centro João Mattos/Especial

Os vereadores derrubaram, por unanimidade, o veto do prefeito Nelson Marchezan Júnior ao projeto de lei que autoriza a instalação de bicicletários e paraciclos em vagas destinadas a automóveis em Porto Alegre. A proposta do vereador Marcelo Sgarbossa, do Partido dos Trabalhadores, altera uma lei de 2013 que permite a instalação de bicicletários em estabelecimentos comerciais. De acordo com Sgarbossa, com essa autorização o espaço público seria democratizado.

 

 

“Donos de estabelecimentos nos procuraram, falando que queriam fazer bicicletários na vaga na frente dos estabelecimentos e era negado porque faltava legislação. Foi uma forma de contribuir com a demanda. Vai democratizar o espaço, já que cabem 7 ou 8 bicicletas onde caberia um carro”, disse Sgarbossa.

 

Ainda foi aprovada uma emenda do vereador Mauro Zacher, do PDT, que condiciona a implantação dos paraciclos e bicicletários à aprovação da EPTC. O veto do prefeito seria apreciado pela casa última quinta, mas não houve quórum. A lei foi aprovada pela Câmara em dezembro do ano passado e vetada em janeiro. Em sua justificativa para vetar o projeto, Marchezan destacou que seria necessária uma regulamentação sobre em quais tipos de vias públicas poderiam ser instalados estes equipamentos.

 

 

Ainda salientou que só seria possível instalá-los em vias onde há permissão de estacionamento de carros. Já onde há proibição, a instalação de paraciclos e bicicletários poderia gerar transtornos à mobilidade urbana. Com a derrubada do veto, agora cabe ao presidente da Câmara de Vereadores, Cássio Trogildo, do PTB, promulgar o projeto, o que o tornaria lei.