Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Band TV
Terraviva
Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 18 de maio de 2017 - 09h38

Situação do estádio Olímpico preocupa moradores da região

Local se tornou ponto de encontro de usuários de drogas
Palco de títulos históricos do Grêmio, estádio virou abrigo para moradores de rua e usuários de drogas / Itamar Aguiar / Agência Freelancer Palco de títulos históricos do Grêmio, estádio virou abrigo para moradores de rua e usuários de drogas Itamar Aguiar / Agência Freelancer

O que foi palco de vitórias para o Grêmio, hoje está abandonado. O Estádio Olímpico Monumental, localizado no bairro Azenha, tem sofrido frequentes invasões de moradores de rua e usuários de drogas. As condições do local preocupam os moradores. O professor Marcelo Xavier, de 46 anos, reside na região desde que nasceu. Segundo ele, a situação desde a saída do Grêmio só piorou e é assustadora.

 

“Virou um caos porque o ambiente se tornou no foco da criminalidade: assaltos, roubo a carro, muita droga, principalmente no Olímpico. A iluminação está um horror e os imóveis desvalorizados. Com a saída do Grêmio houve um impacto social e financeiro muito grande”, diz Xavier.

 

A Brigada Militar já foi acionada. Os moradores também criaram um mecanismo próprio de segurança na comunidade. Um grupo no Whatsapp, com mais de 30 famílias que moram na região, alerta para possíveis situações de perigo.

 

Uma reunião entre moradores e a Brigada Militar deve ser feita em breve para discutir a situação e avaliar o que mais pode ser feito. A data só não foi agendada ainda em função da conciliação de horários. O comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Alexandre Brite, afirma que há patrulhamento de rotina na região.

 

“O 1º Batalha tem feito ações contínuas naquela região com patrulhamentos. Inclusive, há três semanas nós fizemos um prisão onde houve confronto com os delinquentes, mas efetuamos a prisão” diz Brite.

 

De acordo com o diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, seis guardas se revezam por turno para fiscalizar uma área equivalente a 11 campos de futebol, que ainda pertence ao clube tricolor. O diretor lamenta a situação do estádio e afirma que não há nenhuma solução imediata para o local.

 

“O Grêmio faz tudo que pode para afastar qualquer risco da população, mas não soluções imediatas” explica Hein.

 

Uma das possibilidades é a venda do Olímpico. Segundo o diretor jurídico do Grêmio, já existem seis interessados na compra.