Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Band TV
Terraviva
Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 16 de abril de 2018 - 14h12

Buracos em vias na Capital devem diminuir em três meses

Nelson Marchezan Júnior ainda garante que situação dos moradores de rua será solucionada
O chefe do executivo garante que na semana do dia 23 de abril um programa será apresentado para solucionar o problema dos moradores de rua / Eduardo Beleske/PMPA O chefe do executivo garante que na semana do dia 23 de abril um programa será apresentado para solucionar o problema dos moradores de rua Eduardo Beleske/PMPA

O prefeito de Porto Alegre voltou a defender o equilíbrio fiscal como caminho para solução dos problemas da capital gaúcha. Nelson Marchezan Júnior garante que o executivo está trabalhando para reduzir os custos e aumentar as receitas. Em relação a manutenção das vias de Porto Alegre, o chefe do executivo garante que quando assumiu, nenhum dos cinco contratos com fornecedores para operações de tapa buracos estavam em dia.

 

Marchezan ainda apontou como agravante da situação o reajuste no preço do asfalto pela Petrobras e a reputação de má pagadora da prefeitura.

 

“A gente teve que sentar com as empresas em torno de quatro, cinco vezes para explicar que nós não vamos prometer o que não vamos cumprir. Se formos comprar das empresas 100 mil toneladas, 100 toneladas, enfim, o valor que for, a gente vai pagar. Nos próximos três meses talvez nós tenhamos um alívio nos buracos”, afirma o prefeito.

 

Marchezan garante que a Prefeitura está em dia com todos os seus fornecedores. Ele lamentou os problemas com a coleta de lixo que moradores enfrentaram em diversos bairros de Porto Alegre. No entanto, o prefeito destaca que a paralisação aconteceu devido a um impasse entre empresa e seus funcionários.

 

“Na semana passada, eu estava lá por volta das 9 da noite na Prefeitura e vi três ou quatro caminhões de lixo parados na frente da Prefeitura. E liguei pro pessoal: ‘vamos ver o que é isso’ e a resposta foi ‘não, é que eles combinaram de se encontrar aqui porque eles furaram a greve e foram trabalhar e foram ameaçados com armas apontadas pra eles. Então vieram pra cá porque se sentem mais seguros’. Por isso vou te dizer que se não houver investigação da Polícia Civil nós não temos como descobrir efetivamente de onde vem esse boicote”, declara Marchezan.

 

Por fim, o prefeito da capital reforça que o problema dos moradores de rua é complexo. O chefe do executivo garante que na semana do dia 23 de abril um programa será apresentado para solucionar o tema.