Tamanho de fonte
Atualizado em terça-feira, 9 de janeiro de 2018 - 20h28

Taubaté encerra ano com menor número de casos de dengue

O Balanço foi divulgado pela Vigilância Epidemiológica de Taubaté e indica que o município registrou em 2017 o menor número de casos de dengue dos últimos quatro anos.

 

Foram confirmados no ano passado 70 casos positivos da doença, dos quais 66 autóctones e 4 importados. Em 2016, por exemplo, Taubaté contabilizou 3.310 casos positivos de dengue. Foram 2.507 casos em 2015 e o ano de 2014 chegou a 9.610 casos.

 

O ano de 2017 também apresentou reduções de casos de zika e chikungunya em relação a 2016. Foi realizada uma revisão dos casos pela equipe da Vigilância Epidemiológica e o levantamento final foi de nenhum caso de zika e de 5 casos importados de chikungunya. Em 2016 foram 3 casos de zika e 9 casos de chikungunya. Não há registro destas doenças em anos anteriores.

 

 Mesmo com uma redução significativa desses indicadores, a chegada do verão reforça a necessidade de prevenção por parte da população. A combinação de chuvas e altas temperaturas favorece a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya.

 

Agentes do CAS (Controle de Animais Sinantrópicos) de Taubaté continuam no mapeamento da ADL (Análise de Densidade Larvária) de verão. Caso as condições climáticas permitam, a expectativa é que os dados da pesquisa realizada em 3.600 imóveis sejam divulgados em cerca de 10 dias.

 

Por determinação da Sucem (Superintendência de Controle de Endemias), serão realizadas este ano duas ADLs de verão. A próxima pesquisa está prevista para ocorrer em março.

 

A última ADL, realizada em outubro do ano passado, mostrou uma queda nos indicadores de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti em Taubaté, com 0,8 ponto no IB. De acordo com o Ministério da Saúde, o índice de tranquilidade é 1,0 ou menos.