Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 18 de abril de 2012 - 13h48

Bradesco anuncia redução de taxas de juros

A redução foi anunciada após o Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do HSBC e do Santander reduzirem as taxas também

O Bradesco anunciou nesta quarta-feira cortes dos juros, após a decisão do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do HSBC e do Santander de reduzir as taxas, nos últimos dias.

 

A taxa mínima do crédito pessoal cairá de 2,66% para a partir de 1,97% ao mês. Na linha CDC Bens, a taxa será reduzida de 3,54% para a partir de 2,97% ao mês. No caso do financiamento de veículos, a taxa, que era 1,35%, passará a ser a partir de 0,97% ao mês.

 

Nas operações de crédito consignado para os aposentados, o Bradesco reduziu a taxa de 1,32% para a partir de 0,9% ao mês.

 

Os cartões de crédito emitidos em parceria com redes varejistas terão taxas para parcelamento com juros a partir de 2,49% ao mês, com prazo de até 24 meses.

 

Além da redução das taxas, o Bradesco informou que ampliou o limite de crédito em mais R$ 15 bilhões, sendo R$ 9 bilhões para pessoas físicas e R$ 5 bilhões para pessoas jurídicas.

 

Micro e pequenas empresas

Para as micros e pequenas empresas, a instituição criou uma linha de crédito de R$ 1 bilhão para capital de giro e CDC destinados à aquisição de máquinas e equipamentos. A taxa para essa linha ficará em 2,9% ao mês.

 

O Bradesco informou também que R$ 6 bilhões de limite de crédito ficarão à disposição dos bancos ligados às montadoras de veículos. “A medida visa a incrementar a produção e a comercialização de automóveis, um setor de grande importância na cadeia de produção do país”, diz o banco, em nota.

 

De acordo com a instituição, as medidas anunciadas hoje estão “em consonância com os objetivos de estímulo ao crescimento econômico”.

 

O Bradesco disse ainda, na nota, que “continua mantendo estudos em diversas modalidades de crédito, observando o perfil de risco dos tomadores de crédito e ressaltando a importância do crédito responsável, evitando o endividamento excessivo e, portanto, [buscando] a saúde financeira de seus clientes”.

 

As novas taxas de juros e limites, sujeitos a aprovação de crédito, entram em vigor na próxima segunda-feira.