Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 17 de maio de 2017 - 17h19

Conta de luz terá bandeira vermelha até novembro

Tarifa visa atentar para consumo consciente da energia elétrica, em momento em que nível dos reservatórios das hidrelétricas está baixo
Diretor da ONS afirmou que não há previsão para racionamento / Reprodução/Unsplash Diretor da ONS afirmou que não há previsão para racionamento Reprodução/Unsplash

Os baixos níveis dos reservatórios das hidrelétricas do Brasil deverão resultar na manutenção até novembro da bandeira tarifária vermelha nas contas de luz, que eleva custos para os consumidores, segundo informou nesta quarta-feira (17) o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino.

A bandeira vermelha já está em vigor desde abril, devido a chuvas abaixo da média neste ano que não recuperaram o nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de energia no Brasil.

O objetivo da bandeira tarifária é sinalizar o custo real da energia e incentivar o consumo consciente, segundo a Aneel. Ela é acionada quando é necessário ligar as usinas termelétricas, que produzem energia com custo maior que as hidrelétricas.

O Sudeste, onde estão os maiores reservatórios, deve chegar ao final do período seco com cerca de 20% da capacidade nos lagos das usinas, enquanto o Nordeste poderá chegar em novembro com cerca de 10%, disse o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata.

A represa de Sobradinho, maior do Nordeste, poderá inclusive chegar a novembro com o reservatório zerado, adicionou Barata, ao participar de evento do setor no Rio de Janeiro.

Campanha de conscientização

Luiz Barata também informou que o governo pretende fazer uma campanha para estimular o uso de energia elétrica sem desperdícios. No entanto, segundo ele, não há previsão de racionamento.

“Não há risco de desabastecimento, mas existe quase uma certeza de encarecimento de energia, que às vezes só aparece no ano que vem, quando houver o reajuste tarifário.”

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que a proposta da campanha já foi discutida em reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico e que a medida deve ser lançada no segundo semestre.

Entenda as bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias estão presentes nas cores verde, amarela e vermelha, e indicam o quanto será cobrado para mais ou para menos em função de energia extra utilizada proveniente das termelétricas.

Tomando como exemplo um semáforo de trânsito, a tarifa verde indica "consumo livre" de energia, com custos baixos, visando gerar energia. A tarfifa amarela tem por objetivo despertar a atenção do consumidor para o aumento do custo na conta de luz, e a vermalha, corresponde ao sinal máximo de atenção, em que há maior acionamento das termelétricas.  

O custo das bandeiras amarela e vermelha é calculado por cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Na primeira, o valor será de R$ 2, enquanto que na segunda, a tarifa adicional corresponde a R$ 3.

Leia também: Como as companhias aéreas vão cobrar para despachar mala