Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 12 de abril de 2017 - 13h25

Enem: corretores da redação têm treinamento intenso

Preparação começa em setembro com cursos, prova e avaliação presencial
Redação avalia cinco quesitos e é única prova do exame que vale de 0 a mil pontos / Divulgação/MEC Redação avalia cinco quesitos e é única prova do exame que vale de 0 a mil pontos Divulgação/MEC

De todas as provas do Enem, a redação é a única que vai, realmente, de 0 a mil pontos. Isso porque ela não usa a Teoria de Resposta ao Item, mas avalia cinco competências, cada uma valendo 200 pontos.

São elas: domínio da norma padrão da língua; compreensão da proposta e desenvolvimento do tema; seleção de informações, relacionamento entre elas e defesa de um ponto de vista; conhecimento dos mecanismos linguísticos para a construção da argumentação e proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

“O que o aluno precisa saber é que o texto dele vai ser lido por, pelo menos, dois corretores, e que eles passam por uma preparação intensa para a função”, diz Maria Teresa Nastri de Carvalho, professora no cursinho CPV que já foi corretora em processos seletivos da PUC, da Vunesp e do próprio Enem.

O treinamento para a correção começa em setembro, com um curso online que dura cinco semanas, uma para cada competência. Nessa fase, os professores candidatos recebem textos teóricos atualizados para refletir sobre cada uma das competências. Também recebem redações do ano anterior para praticar a avaliação do quesito estudado. Essas correções são avaliadas e o professor precisa ter, ao menos, 70% de acerto. Quem tiver um rendimento inferior, será descartado do processo.

Planejamento é fundamental para encarar o Enem
Enem: Literatura não tem lista de obras obrigatórias

Após as correções, os candidatos ainda passam por uma prova online, que avalia tanto o conhecimento teórico quanto a capacidade de detectar as competências em textos. Novamente é exigido um mínimo de 70% de acerto. Para finalizar, aqueles que chegam ao fim das cinco semanas fazem, também, uma prova presencial. “Depois de todo esse treinamento, a correção se dá de forma mais clara e rápida: é olhar para um texto e ver o que está apropriado segundo a proposta, verificar se há inadequações, que comprometam alguma competência, se ocorrem desvios de normas e caminhos acertados na condução do tema”, diz Maria Teresa.

Para finalizar, há um último treinamento presencial com dois dias de duração, realizado após a aplicação do Enem. Neste momento, 40 redações são apresentadas e usadas para discussões. Assim, todos os corretores ficam calibrados com o que se espera dos alunos para aquele tema, incluindo as propostas de intervenção.

Quando as correções começam para valer, os avaliadores seguem sendo observados. Semanalmente, cada um recebe um relatório com seu desempenho em cada uma das competências. Se o aproveitamento for menor de 70%, ele recebe uma advertência. Se houver um segundo mau desempenho, é suspenso por 48 horas. Se houver um terceiro, ele é descartado do processo. “Precisa ficar claro que quem está lendo e avaliando as redações é um profissional altamente qualificado e comprometido com a metodologia”, finaliza Maria Teresa.

Leia mais:
Enem 2017 será aplicado em dois domingos
}Inscrição para o Enem deste ano custará R$ 82