Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 22 de maio de 2017 - 13h44

Sala de aula na França terá 12 alunos

Estudo indica que turmas menores são mais eficazes
Mudança foca nos estudantes do primário / Free Images Mudança foca nos estudantes do primário Free Images

O novo governo de Emmanuel Macron fará uma mudança em mais de 2 mil escolas francesas para o próximo ano letivo: as classes deverão ter apenas 12 alunos cada para um melhor aproveitamento do ensino.

O anúncio da mudança foi realizado nesta segunda-feira pelo ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, e atinge 2,2 mil escolas de ensino primário das áreas de instrução prioritária (REP) ou de instrução prioritário reforçada (REP+). As crianças dessas unidades tem entre dois e seis anos de idade.

De acordo com Blanquer, "diversos estudos demonstram que a subdivisão em pequenas classes é mais eficaz" e que as aulas das classes prioritárias terão apenas 12 ao invés dos 24 alunos como é atualmente como forma de "experimentação".

"A prioridade é a escola primária, que é a mãe de todas as batalhas. Nosso objetivo é que os alunos saiam da escola primária com a aprendizagem essencial. Temos que sair da escola primária tendo aprendido a ler, escrever, contar e a ter respeito pelos outros", disse ainda o ministro.

A medida suscita críticas de sindicatos franceses e de professores, que afirmam que não há estruturas para o ensino ser feito dessa maneira.

Você viu?
Professora se inspira em "mulheres fortes" nas aulas