Atualizado em sexta-feira, 3 de outubro de 2014 - 22h20

Lei eleitoral impede prisão de criminosos

Legislação impede detenções cinco dias antes e até 48 horas após o encerramento das eleições



Uma lei criada para evitar prisões políticas acaba beneficiando criminosos: ninguém pode ser preso no Brasil, a não ser em flagrante, até terça-feira que vem. Isso porque a legislação eleitoral impede detenções cinco dias antes e até 48 horas após o encerramento das eleições.

Já é normal que acusados de crimes que estão foragidos apareçam às vésperas da eleição e escapem da cadeia. Um dos casos mais emblemáticos foi o do pagodeiro Evandro Gomes Correia Filho. Condenado pela morte da ex-mulher Andreia Cristina Nóbrega e por tentativa de assassinato do filho, ele passou quase dois anos foragido e se apresentou à polícia disfarçado, exatamente nessa época.

Nesta semana, o falso médico Carlos Augusto Graça de Oliveira, suspeito de envolvimento com o desaparecimento e morte da auxiliar administrativa Jandira dos Santos no fim de agosto, se apresentou na delegacia, mas também não foi preso.

A lei, que provoca muita discussão, assegura que nenhum eleitor pode ser preso, a não ser em casos de flagrantes ou de pessoas que já tenham sido condenadas pela Justiça.

publicidade