Meirelles não descarta candidatura à Presidência: "resultados vão definir"

Para ministro da Fazenda, são os resultados do seu trabalho que vão definir os rumos de uma possível campanha eleitoral

Apesar dos constantes atritos com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Fazenda, Henrique Mereilles (PSD), não descarta uma possível candidatura à Presidente da República e afirma que os bons resultados no trabalho é que vão definir os rumos. 

Entretanto, o político fez questão de destacar que não está pensando no assunto no momento, e sim nas melhoras na economia. "Já tomei a decisão de que vou chegar a uma conclusão, de fato, no início de abril deste ano. No momento, tenho que me concentrar no trabalho", disse, em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, no programa 90 Minutos, da Rádio Bandeirantes, desta quinta-feira (11). Ouça áudio aqui.

Meirelles afirmou ainda que precisa avaliar as condições eleitorais antes de anunciar uma possível candidatura. "Hoje, nos debates que tenho participado como ministro, tenho tido resultados positivos. Estamos fazendo esse trabalho que está dando resultado na economia", explicou sobre suas habilidades em debates eleitorais.

"Como disse o famoso escritor brasileiro, Nelson Rodrigues, nada mais brutal do que o fato. Acredito muito em resultados", disse à RB.

Inflação

No restante da entrevista ao jornalista Datena, Meirelles explicou aos ouvintes o que era inflação e destacou a queda do índice. "O fato é que a inflação está em um nível baixo, o que não quer dizer que os preços estão caindo, isso seria deflação. A inflação baixa é quando os preços estão subindo menos", contou.

Crise na economia

O ministro também explicou o motivo que originou a crise financeira no Brasil. “A partir de 2011, o governo adotou a política em que acreditava no aumento das despesas públicas e achou que assim o país iria crescer".

Ele era o presidente do Banco Central durante o governo Dilma Rousseff.

Reforma da Previdência

"A Reforma visa garantir que cada um receba sua aposentadoria no futuro. É isso", disse quando questionado sobre o projeto.

Para ele, é uma forma de diminuir também a desigualdade entre a população e garantir mais justiça.

Compartilhar

Deixe seu comentário