Jornal da Band

No Paraná presos trabalham dentro da penitenciária

Da Redação

Terca-feira, 9 de maio de 2006 - 15h04      
Em Cascavel, no oeste do Paraná, uma penitenciária mostra que a recuperação dos presos se dá mesmo pelo trabalho.

Graças a parcerias com empresas, eles aprendem uma profissão e poucos voltam a cometer crimes.

Uma fábrica de camisa funciona dentro de um presídio.

Sessenta presos trabalham na confecção, que é vendida para todo o país.

A produção diária da fábrica de camisa que funciona na penitenciária industrial de Cascavel gira em torno de 250 peças.

Uma pesquisa mostra que preparar os presos para o mercado de trabalho traz resultados.

Apenas 2% dos presos que deixaram a penitenciária voltaram a praticar crimes, em Cascavel.

Em presídios comuns do Paraná o índice é de 29%, o mais baixo do país.

Os presos recebem em média cem reais por mês.

O dinheiro é depositado em uma conta poupança.

A empresa tem vantagens como mão-de-obra barata e inseção de encargos sociais.

Um empresário tem há dois anos e meio uma fábrica de grampos dentro do presídio.

Experiência aprovada com mais de 1500 unidades produzidas por dia.

Além de camisas e grampos, a penitenciária industrial de Cascavel também fabrica bolas e sacolas plásticas.