Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 - 23h32

Mulher acusada de bruxaria é queimada viva

Segundo jornal, moradores afirmavam que a jovem teria matado um menino de 6 anos por meio da feitiçaria
Kepari Leniata foi torturada antes de ser queimada em um fogueira / AFP PHOTO Kepari Leniata foi torturada antes de ser queimada em um fogueira AFP PHOTO

Uma mulher de 20 anos acusada de bruxaria foi despida, encharcada com petróleo e queimada viva ante uma multidão em Papua Nova-Guiné, informou a imprensa local.

Segundo o jornal Post-Courier, ela foi incendiada por moradores que afirmavam que ela matou um menino de seis anos de idade, por meio da feitiçaria.

A jovem mãe de família, identificada pelo jornal The National como Kepari Leniata, foi torturada e depois queimada viva em uma fogueira feita com pneus.

A multidão impediu a intervenção da polícia, segundo o jornal Post-Courier. Um caminhão de bombeiros enviado ao local foi expulso pelos habitantes locais.

O fato ocorreu na quarta-feira, na cidade de Mount Hagen, na província de Western Highlands.

A crença em bruxaria continua sendo comum neste pobre país do Pacífico.