Tamanho de fonte
Atualizado em sábado, 18 de março de 2017 - 21h12

Homem é morto após atacar três soldados franceses

Suspeito tentou pegar arma de uma soldada no Aeroporto de Orly
Policial das forças especiais faz o isolamento do Terminal Sul do Aeroporto de Orly / Christian Hartmann/Reuters Policial das forças especiais faz o isolamento do Terminal Sul do Aeroporto de Orly Christian Hartmann/Reuters

Um homem foi baleado e morreu neste sábado depois de lutar com uma soldado e tentar arrancar sua arma no Aeroporto de Orly, na França. Ninguém mais ficou ferido no terminal, mas milhares de pessoas foram evacuadas do local e voos foram redirecionados a outros aeroportos.

 

A polícia francesa ainda não informou o motivo do ataque, mas promotores de Paris disseram que sua divisão antiterrorismo assumiu a investigação.


Veja também no Jornal da Band:

 

O ministro de Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, disse que o homem, ainda não identificado, atacou três soldados da força aérea que patrulhavam o local. O agressor lutou no chão com uma soldado e tentou pegar sua arma, mas ela conseguiu segurá-la. Segundo o ministro, os outros dois soldados abriram fogo para protegê-la e proteger as pessoas que circulavam no aeroporto.

 

O ministro do Interior Bruno Le Roux afirmou que o agressor seria o mesmo que "está ligado ao sequestro de carro" no início da manhã em um subúrbio de Paris. De acordo com ele, o homem atirou em um policial de uma patrulha de trânsito e em seguida roubou o carro de uma mulher, ameaçando a motorista com uma arma. O veículo foi encontrado mais tarde perto do aeroporto de Orly. Le Roux disse que o homem já era conhecido pela polícia e pelos serviços de inteligência.

 

A soldado que foi atacada faz parte da força especial Sentinelle instalada pela França para proteger locais sensíveis após uma sequência de ataques extremistas. A força inclui 7500 soldados, metade alocada na região metropolitana de Paris e metade nas províncias.

 

Orly é o segundo maior aeroporto de Paris, atrás do Charles de Gaulle, e recebe voos domésticos e internacionais, normalmente para destinos na Europa e África.

 

Leia também:

Tiroteio em escola na França deixa feridos

Paris: grupo anarquista seria responsável por carta-bomba