Hillary e Trump trocam farpas em jantar solidário

Evento é realizado com candidatos à presidência dos Estados Unidos

Um dia após o último debate político, a candidata democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump trocaram alfinetadas em tom humorado durante jantar de gala em Nova York nesta quinta-feira (20).

Em um clima descontraído, o evento, realizado no hotel Waldorf Astoria, cumpre uma tradição de reunir os candidatos à presidência dos Estados Unidos para um jantar beneficente, além de servir para medir o bom humor de ambos.

Durante os discursos, Trump disse para Hillary que pela primeira vez ela falava com pessoas tão importantes "sem ser paga por isso". Por sua vez, a ex-secretária de Estado elogiou o cavalheirismo do republicano por mandar um veículo para levá-la ao jantar, porém, disse que se tratava de um "carro fúnebre". 

Os dois candidatos presidenciais exploraram as diversas situações polêmicas que aconteceram durante a disputa pela Casa Branca. Entre as "farpas", está um suposto convite para que Trump se torne embaixador dos Estados Unidos no Iraque ou Afeganistão e o discurso realizado por Melania Trump, que teria sido copiado da primeira-dama, Michelle Obama.

Hillary Clinton ainda reconheceu que não era conhecida por seu senso de humor, mas afirmou que sempre se destacou pelo bom espírito. Entretanto, Trump chegou a ser vaiado pelo público presente quando chamou a adversária de "corrupta" e afirmou que "a tiraram da Comissão do Watergate".

A democrata também explorou um dos pontos fracos do republicano, e disse que o povo reconhece a Estátua da Liberdade como um símbolo favorável aos imigrantes, enquanto ele vê um número "quatro", fazendo uma avaliação igual ao comentário machista feito pelo magnata sobre as mulheres.

As eleições para definir o novo presidente dos Estados Unidos acontece no dia 8 de novembro. Após o último debate, realizado na última quarta-feira (19), Hillary Clinton é a candidata favorita a liderar a Casa Branca. 

Leia também:
Trump diz que vai aceitar resultado, mas só se ganhar
Hillary pode vencer mesmo sem votos decisivos

Compartilhar

Deixe seu comentário