Paris: carta-bomba em escritório do FMI deixa ferido

Polícia da cidade está fazendo operação nos escritórios

Uma pessoa ficou ferida após a explosão de uma carta-bomba, nesta quinta-feira, no escritório do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Paris, na França. A funcionário da entidade sofreu queimaduras no rosto e nos braços ao abrir a carta, mas não corre risco de morte.

Segundo chefe da polícia, a detonação foi causada por um artefato caseiro.

"Foi uma coisa bem caseira", disse Michel Cadot a repórteres. Segundo ele, recentemente houve algumas ameaças por telefone, mas não está claro se teriam ligação com o incidente desta quinta-feira.

Separadamente, ao menos três pessoas ficaram feridas durante um incidente com tiros em uma escola de Grasse, cidade do sul da França, disse uma fonte policial.

Polícia em frente ao local do atentado
Polícia em frente ao local do ataque - Philippe Wojazer/Reuters

A França, que está a seis semanas da eleição presidencial, vem sendo alvo de ataques de grupos islâmicos que mataram dezenas de pessoas nos últimos anos e ainda se encontra em estado de emergência, com unidades do Exército patrulhando as ruas parisienses.

Um grupo militante grego, a Conspiração de Células de Fogo, assumiu a autoria de um pacote-bomba enviado ao ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, na quarta-feira, mas ninguém assumiu a autoria da carta-bomba de Paris de imediato.

O FMI está envolvido em discussões entre a Grécia e seus credores internacionais a respeito do desembolso de novos empréstimos a Atenas, conforme um pacote de ajuda econômica.

A secretária-geral do FMI, Christine Lagarde, repudiou a explosão, que classificou como "um ato de violência covarde".

"Eu reafirmo a determinação do FMI para continuar nosso trabalho de acordo com nosso mandato. Estamos trabalhando de perto com as autoridades francesas para investigar este incidente e garantir a segurança de nossos funcionários", disse. 

Leia também
Terrorismo: turistas deixaram de ir a Paris em 2016
Invasor do Louvre queria apenas pichar obras de arte  

Compartilhar

Deixe seu comentário