Homem que tentou atacar aeroporto na França disse que morreria por Alá

Autor da tentativa de atentado foi identificado como Ziyed Ben Belgacem

O homem que tentou realizar um ataque no aeroporto de Orly, na França, neste sábado (18), teria gritado que "morreria por Alá" no momento em que pretendia roubar a arma de uma militar que estava no local. 

"Deponham suas armas, estou aqui para morrer por Alá. Qualquer outro caso, haverá mortes aqui", disse aos outros dois soldados, segundo o procurador de Paris, François Mollin. 

O homem foi identificado como Ziyed Ben Belgacem, de 39 anos e de nacionalidade francesa. As suspeitas é que ele tenha se radicalizado durante o período em que esteve preso por assalto à mão armada e tráfico de drogas. 

Ziyed foi baleado e morreu no local. Ninguém mais ficou ferido no terminal, mas milhares de pessoas foram evacuadas do local e voos foram redirecionados a outros aeroportos.

Veja também no Jornal da Band:

Motivação

A polícia francesa ainda não informou o motivo do ataque, mas promotores de Paris disseram que sua divisão antiterrorismo assumiu a investigação.

O ministro do Interior Bruno Le Roux afirmou que o agressor seria o mesmo que "está ligado ao sequestro de carro" no início da manhã em um subúrbio de Paris. De acordo com ele, o homem atirou em um policial de uma patrulha de trânsito e em seguida roubou o carro de uma mulher, ameaçando a motorista com uma arma. O veículo foi encontrado mais tarde perto do aeroporto de Orly. Le Roux disse que o homem já era conhecido pela polícia e pelos serviços de inteligência.

A soldado que foi atacada faz parte da força especial Sentinelle instalada pela França para proteger locais sensíveis após uma sequência de ataques extremistas. A força inclui 7500 soldados, metade alocada na região metropolitana de Paris e metade nas províncias.

Orly é o segundo maior aeroporto de Paris, atrás do Charles de Gaulle, e recebe voos domésticos e internacionais, normalmente para destinos na Europa e África.

Leia também:
Tiroteio em escola na França deixa feridos
Paris: grupo anarquista seria responsável por carta-bomba

Compartilhar

Deixe seu comentário