Pentágono confirma morte de líder do EI

Bombardeio teria matado Sayed e outros milicianos do grupo extremista

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira a morte do "emir" Abu Sayed, considerado o líder do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no Afeganistão e no Paquistão.

Segundo o Pentágono, Sayed foi "eliminado" durante um bombardeio realizado no último dia 11 de abril, na província afegã de Kunar. O ataque também matou outros milicianos do EI.

Um mês depois do ataque, os EUA lançou no país a "mãe de todas as bombas", arma mais potente de seu arsenal não-nuclear e que tinha como objetivo atingir alvos do Estado Islâmico na província de Nangarhar.

Baixas

Na terça-feira passada uma emissora de TV iraquiana também confirmou a morte do líder e "califa" do EI, Abu Bakr al Baghdadi, que já tinha sido anunciada em junho pela Rússia. Ele teria morrido em um ataque aéreo em Raqqa, na Síria, em 28 de maio.

Você viu?
EUA diz que não podem provar morte de líder do EI
Iraque anuncia libertação de Mosul das mãos do EI

Compartilhar

Deixe seu comentário