Estado Islâmico e Hamas disputam autoria de ataque

Uma agente foi morta por palestinos em Jerusalém na sexta (16)

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e o movimento palestino Hamas estão disputando a autoria do ataque realizado na noite de ontem (16) em jerusalém, no qual morreu uma agente de fronteira israelense.

Em um comunicado divulgado no aplicativo criptografado Telegram, o EI afirmou que três de seus combatentes "atacaram um grupo de judeus", em uma operação durante a qual os três foram mortos por policiais israelenses. Este ataque "não será o último", advertiu o grupo extremista.

Por sua vez, o Hamas e a esquerda palestina negaram neste sábado (17) a reivindicação do grupo jihadista, garantindo que os palestinos mortos após executarem a policial eram seus seguidores. "A reivindicação do Estado Islâmico é uma tentativa de enredar as coisas", afirmou em um comunicado o porta-voz do movimento islâmico em Gaza, Sami Abou Zouhri.

Segundo ele, "o ataque foi cometido por dois palestinos da Frente Popular de Libertação da Palestina (FPLP) e um terceiro do Hamas". A FPLP divulgou que Bara Ata, de 18 anos, Osama Ata, de 19, e Adel Ankouch, de 18, lançaram o ataque "na linha direta da resistência e para responder aos crimes do ocupante".

Depois do novo ataque, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu decidiu cancelar as permissões de acesso a Jerusalém.


Leia também:

Rússia diz que matou líder do EI em ataque aéreo

Compartilhar

Deixe seu comentário