Ouça: íntegra do áudio dos delatores da JBS

Conversa entre Joesley Batista, dono da JBS, e o diretor de relações institucionais da empresa, Ricardo Saud, serviu de base para pedido de investigação que pode romper acordo de delação premiada estabelecido com a Procuradoria-Geral da República

Uma nova gravação pode acabar com o acordo de delação premiada estabelecido entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e os executivos da JBS. A conversa (confira a íntegra abaixo) aponta indícios de que um ex-membro da PGR ajudou os empresários no esquema.A conversa foi entregue à PGR pelos delatores no final da última semana após a Polícia Federal (PF) descobrir a existência de novos áudios que não foram incluídos no acordo.

Joesley Batista, dono da JBS, e o diretor de relações institucionais da empresa, Ricardo Saud, dão indícios na gravação de que o ex-procurador da República Marcello Miller teria ajudado no acordo de delação premiada, o que evitou que os executivos fossem presos.

A Band mostrou na terça-feira partes da conversa (ouça aqui os trechos) em que Joesley falava sobre membros do Supremo Tribunal Federal (STF) e a tentativa de buscar provas com o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que recusou as propostas oferecidas pelos empresários.

Ainda nesta quarta-feira, o ministro do STF, Luiz Fux, defendeu a prisão de Joesley e de Saud por omissão de informações.

Na noite de sexta, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão dos dois, além de Miller

No domingo, o ministro Luiz Edson Fachin autorizou a prisão temporária de Joesley e Saud, mas dispensou Miller, por considerar que não há elemento indiciário com a consistência necessária. No início da tarde, Joesley e Saud se entregaram à Polícia Federal em São Paulo.

Compartilhar

Deixe seu comentário