CVM abre novas investigações contra JBS

Órgão fiscalizador mira em operações no mercados de câmbio e de ações

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu abrir duas investigações administrativas contra a empresa de alimentos JBS, elevando para seis o número de processos sobre a empresa abertos neste ano.

Segundo informações do órgão fiscalizador dos mercados de capitais do Brasil, os dois processos abertos nesta semana foram iniciados na quarta e na quinta, após informações publicadas pela imprensa sobre operações nos mercados de câmbio e de ações que teriam sido feitas por executivos da JBS.

Na véspera, a agência de notícias Reuters publicou que o grupo de controle da JBS vendeu R$ 329 milhões em ações da companhia em abril, operação que foi acompanhada pela compra de R$ 200 milhões em ações da empresa pela tesouraria da própria JBS no mês passado, segundo documentos enviados ao mercado.

Enquanto isso, o jornal Valor Econômico publicou que a CVM tomou conhecimento de que o grupo de empresas dos irmãos Joesley e Wesley Batista teria adquirido uma posição superior a US$ 1 bilhão no mercado local de câmbio horas antes do vazamento da notícia sobre acordo de delação deles.

Procurada, a CVM não informou de imediato sobre o teor das investigações sobre a JBS. Mas o descritivo delas envolve "notícias, fatos relevantes e comunicados".

Além dos processos abertos nesta semana, a CVM já havia iniciado um processo sobre a JBS em 12 de maio. Os outros inquéritos administrativos incluem um aberto em 27 de março, outro iniciado partir de reclamações de investidores em 21 de março e outro em 15 de fevereiro.

Você viu?
Planalto desconfia que gravação de dono da JBS foi editada


Boechat: crime de Temer é assombrosamente explícito

Compartilhar

Deixe seu comentário