PF prende empresário Wesley Batista

Agentes investigam se executivos do grupo se aproveitaram de acordo de delação para obter lucros no mercado financeiro

A Polícia Federal (PF) cumpriu, na manhã desta quarta-feira (13), um mandado de prisão preventiva contra o empresário Wesley Batista, irmão de Joesley, também um dos donos da JBS.

São investigadas fraudes ao sistema financeiro: os executivos da JBS teriam usado informações privilegiadas para lucrar com ações na Bolsa de Valores.

De acordo com a colunista da BandNews FM Mônica Bergamo, a prisão é considerada uma "surpresa" porque os problemas encontrados nas delações de executivos da J&F não atingiam o empresário.

Um dos benefícios previstos no acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR) era a "imunidade total". A conduta de Wesley Batista não era considerada suspeita.

A PF informou que cumpriu mandados de busca e apreensão nas casas de Wesley Batista, no Morumbi, e Joesley Batista, nos Jardins, e apreendeu documentos.

Irmãos Batista têm prisão preventiva decretada

Wesley não vai a Brasília e ficará detido na carceragem da Polícia Federal em São Paulo, já que o mandado foi expedido pela Justiça do Estado.

Leia mais: Advogado dos irmãos Batista critica mandado de prisão

O empresário já passou pelo exame de corpo de delito e deve ser submetido a uma audiência de custódia ainda nesta quarta.

Apesar do pedido de prisão preventiva ter sido expedido, é procedimento padrão levar o detido para essa audiência com o juiz da vara responsável.

O mandado de prisão preventiva contra Wesley Batista foi expedido pela 6ª Vara de São Paulo.

A Justiça Federal de São Paulo também decretou a prisão de Joesley Batista, irmão de Wesley, que já está detido desde o fim de semana por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

Confira trecho da entrevista com o advogado dos irmãos Batista

Compartilhar

Deixe seu comentário