TRF4 nega ter curtido tweet do comandante Eduardo Villas Bôas

Pela rede social, sem dar maiores detalhes sobre as pretensões das Forças Armadas, o general repudiou a impunidade

O Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4), responsável pela condenação em segunda instância do ex-presidente Lula, negou ter "curtido" o tweet do comandante do Exército Eduardo Villas Bôas que repercutiu nessa terça-feira (3).

Pela rede social, sem dar maiores detalhes sobre as pretensões das Forças Armadas, o comandante do Exército publicou uma mensagem de repúdio à impunidade.

Villas Bôas ainda afirmou que o Exército "se mantém atento às suas missões institucionais", o que poderia ser interpretado como uma insinuação de um novo golpe.

Também pelo Twitter o TRF4 alegou não ter se manifestado por meio de "curtidas" nesta semana e que está "verificando o que ocorreu na página".

Marcelo Bretas

Outro membro do Judiciário que se envolveu nas discussões foi Marcelo Bretas, responsável pelas ações da Lava Jato na 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

O juiz federal compartilhou a mensagem em tom de aprovação.

Três horas depois, depois de receber muitas críticas, Bretas voltou ao assunto e se justificou, afirmando que compartilha dos "valores enunciados na mensagem", mas que não se pronunciará sobre as insinuações.

Compartilhar

Deixe seu comentário